sexta-feira, 20 de maio de 2011

IRMÃ DULCE - a Beata Bahiana

Entre os milhares de devotos da religiosa,havia um pessoa com motivos de sóbra para estar presente a beatificação.A funicionária pública, Claudia Cristiane Santos de Araujo,do Municío de Malhador em Sergipe, que foi salva de uma intensa hemorragia que a acometeu após o parto do segundo filho, Gabriel, hoje com 10 anos.Cura alcançada graças a intercessão de Irmã Dulce,cujo milagre foi comprovado pela Igreja.Hoje ela diz "estou aquí por milagre, e estou muito feliz".
Em 26 de maio 1914, nascia em Salvador-Ba, Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes. Em 1927 manifesta pela primeira vez o interesse pela vida religiosa.Em 15 de janeiro de 1933, profissão de Terceira Franciscana, recebendo o nome de Irmã Lúcia.Em 9 de fevereiro de 1933 ingressa na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus.Em 13 de agosto do mesmo ano, recebe o hábito das Irmãs Missionária da Imaculada Conceição da Mãe de Deus e, em homenagem a sua mãe, recebe o nome de Irmã Dulce. Em 15 de agosto de 1934, profissão de votos simples temporários de Noviciado.Em 15 de agosto de 1937, profissão de votos simples perpétuos. Em 1984 funda a Associação Filhas de Maria Serva dos Pobres, para manter o carisma da sua obra. Ela se fez pobre junto aos pobres, e sem fomentar contraposições, recordou aos ricos a exigência evangélica de repartir o pão com o faminto. Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992.